O desafio da escolha profissional na adolescência

grafico_2

Texto I

Quem tem um adolescente em casa sabe, sente na pele, a pressão e a ansiedade do momento da escolha profissional. Nas famílias com condições financeiras de sustentar o ingresso do jovem à universidade, o privilégio de escolher uma profissão normalmente ocorre ao final do Ensino Médio, às vésperas do vestibular. Esse momento é inegavelmente tenso. […] Isso porque o processo de decisão profissional não é exclusivamente do adolescente. Ao contrário, afeta todos ao redor. Desafia cada membro da família a pensar alternativas, buscar seus próprios sonhos, tentar resgatar aquele desejo de realizar algo que não foi possível até então. Desde o clássico exemplo de pais sedentos por realizar seus anseios através do filho até o envolvimento de avós, tios, irmãos, primos e amigos de convivência próxima à família. […] Diante da escolha profissional, a “ex-criança” dá um passo marcante para a sua própria independência.
Fonte:A primeira escolha profissional do adolescente: queminfluencia? Anaí Auada.

Texto II

A escolha profissional, nos dias de hoje, se deve ao fato da diversidade de opções, que parece confundir ainda mais. O momento da escolha é sempre muito difícil pelas características da própria escolha, o adolescente precisa optar não só pela profissão que terá, mas por quem ele quer ser, qual o estilo de vida que ele quer levar, isto em um
momento que ele não sabe nem quem ele é, ou seja, para complicar ainda mais, já é sabido que este momento é determinado por intensos conflitos de identidade. Conflitos estes que, segundo Neiva (1995), geram ansiedade no jovem que dificilmente consegue resolvê-los sozinho […]. O mercado atual de trabalho oferece muitas possibilidades, e é preciso que o profissional atenda à demanda desse mercado para que possa manter sua carreira profissional. A escolha tem que trazer realização pessoal, não adianta escolher uma profissão que garanta alta remuneração, mas que seja um sacrifício exercê-la.
Fonte: A escolha profissional do adolescente frente às demandas familiares e do mercado de trabalho atual.
Clarisse Macedo Gonçalves Pereira.
Texto III
A psicóloga Ana Claudia Paranzini, que tem experiência na área de orientação profissional, revela que a maioria dos adolescentes estão perdidos quanto a qual caminho seguir. “Decidir a respeito do futuro profissional é um processo sério e que pode sofrer influência de diversos fatores externos. O jovem recebe cobranças da sociedade, da família, dos amigos e muitas vezes não está preparado para esse momento”.
Além da dificuldade da idade, o adolescente sobre diversas pressões, como a de seguir a mesma profissão dos pais ou a que dará maior estabilidade financeira. “O dinheiro não pode ser o principal critério, outros fatores devem levados em consideração, como as habilidades e os interesses do jovem. Quando se faz o que gosta, é mais fácil se dedicar e se envolver com o trabalho e, consequentemente, a probabilidade de ser bem sucedido financeiramente é maior”, afirma a psicóloga.
 14804836_1191825124263376_1666502398_n

Proposta: A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O desafio da escolha profissional na adolescência”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto Modelo

O desafio da escolha profissional encontra-se em crescente ascensão na sociedade brasileira, sendo suscitado tanto pela pluralidade de opções disponíveis no mercado quanto pelas tensões fomentadas pelos conceitos divergentes de possuir uma situação profissional financeiramente favorável e trabalhar com o que é apreciado pelo jovem. Nesse sentido, é perceptível o fato de a decisão da futura carreira ter se tornado um empecilho para diversos adolescentes, os quais constantemente solicitam a ajuda de um orientador vocacional ou dos próprios familiares durante o período de deliberação  da escolha profissional.

Entretanto, a ansiedade e o estresse provocados pela dicotomia entre os conceitos na hora de escolher uma profissão configura-se, sobretudo, como sendo proveniente da influência negativa de parentes e amigos, os quais percebem como mais valoroso o fato de uma tal profissão fornecer maior retorno financeiro em detrimento da competência vocacional do jovem em relação à carreira a ser escolhida. Ainda dentro dessa conjuntura, também faz-se possível destacar a ausência de incentivos aos estudantes – especialmente os frequentadores da rede pública de ensino – como sendo um dos fatores de risco durante a escolha profissional, haja vista que uma significativa parte dos adolescentes não possui o conhecimento necessário para entender sobre o perfil acadêmico exigido pela carreira ou pelas características do trabalho.

Ademais, a diversidade de opções disponíveis também facilita a incerteza do discente quanto ao seu futuro profissional, o que pode ocasionar problemas psicológicos relacionados ao arrependimento de não ter se encaminhado para um determinado setor do mercado ou de ter aderido a conselhos baseados em argumentos infundados e inconsistentes. Nessa perspectiva, devido ao despreparo do candidato no que tange à sua inserção na universidade, pode-se inferir o quanto o sistema educacional se encontra falho no âmbito do estímulo ao aprendizado e à busca por conhecimento, visto que, em uma considerável parte das escolas, o estudante se detém a aprender somente o que lhe é ensinado em sala, sem pesquisar em outras fontes de conhecimento.

Diante do exposto, faz-se mister a colaboração entre o governo, a escola e a família com o objetivo de minimizar os obstáculos da escolha profissional por meio de projetos e palestras escolares que visem incitar o jovem a pesquisar mais sobre as áreas de formação. Outrossim, o desenvolvimento de campanhas de conscientização com o objetivo de auxiliar os familiares dos jovens a entenderem que a decisão profissional deve ser independente do retorno financeiro também configura-se como sendo de extrema importância para que o adolescente consiga escolher com segurança a futura carreira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s